Skip to content

Quando fazer uma consolidação da dívida não é uma boa idéia

Quando que fazer uma consolidação da dívida pode não ser uma boa idéia? Quem está vivo e trabalha tem dívida, infelizmente esse é um fato irrefutável. Há cartão de crédito ou cartões de crédito com faturas com diferentes valores a serem pagos, o filha precisava de aparelho dentário cirurgia dentária, seu carro de manutenção, material escolar, compras do dia a dia, visitas ao shopping onde você comprou mais do que devia etc.

E tudo isso não inclui as parcelas do seu empréstimo hipotecário, o pagamento do financiamento do veículo, o pagamento de empréstimo de estudante, a sua conta de eletricidade, a sua conta de gás, da internet, da TV a cabo, telefone fixo, Netflix e assim por diante ..

É fácil ver por que a consolidação de dívidas é uma solução atraente. Ter a capacidade de simplificar suas finanças e reduzir o número de pagamentos que você faz a cada mês significa menos trabalho e menos oportunidades para esquecer acidentalmente uma ou outra de suas contas pontuais. No entanto, é importante entender por que a consolidação da dívida pode não ser uma boa idéia.

A verdade sobre fazer uma consolidação da dívida

Consolidar dívidas existe porque é benéfica para os credores e não para os mutuários. A consolidação da dívida é popular porque muitas vezes também é benéfica para os consumidores. Quando os empréstimos para consolidação de dívidas, a transferências de dívida, os programas de gestão das dívidas e os refinanciamentos para quitar dívidas são mutuamente benéficos, eles são uma ótima maneira de colocar a sua casa financeira em ordem.
Quando fazer uma consolidação da dívida não é uma boa idéia
Mas quando todas essa modalidades não estão como os melhores juros? Existem algumas circunstâncias em que a consolidação de dívidas, ou seja, juntar todas as suas contas pode causar mais danos do que bem, então veja se você se enquadra em qualquer uma dessas categorias e pesa os prós e contras antes de solicitar uma consolidação.

Quando você não planeja mudar seus hábitos financeiros

Um dos principais benefícios de contratar a consolidação de dívida deve ser para poder respirar mais aliviado na finanças. Ao combinar uma série de pagamentos de grande, médio e pequenos custos ​​em um (geralmente) pagamento fixo, você conseguira encontrar mais espaço no seu orçamento mensal.

O que você faz a consolidação funcionar ou não? Se você vê um quarto onde existe a oportunidade para continuar esticando seus compromissos financeiramente – simplesmente para pagar por seus desejos ao invés de suas necessidades – você descobrirá rapidamente que essa economia feita com a consolidação da dívida desaparece e sua capacidade de gerenciar seu novo orçamento será extremamente atribulado.

Não abordar a consolidação da dívida como uma solução única para todas as suas preocupações financeiras é uma erro. Se você tem hábitos de usar seu dinheiro de forma ruim, e não abordar as questões de manter seu orçamento saudável, a consolidação das suas dívidas apenas atrasará seus problemas financeiros.

Em vez disso, concentre-se nas questões que levam você a considerar a consolidação como uma ferramenta certa para você acabar com muitas dívidas e diminuir o custo de alguns juros e despesas extras com multas.

Quando você está colocando sua casa em perigo

Uma das formas mais populares de fazer uma consolidação é o refinanciamento de imóvel ou da sua casa para uma nova obtenção de empréstimo à habitação. Isso geralmente faz sentido financeiramente, porque essas taxas de empréstimos quase sempre serão significativamente menores do que as taxas de cartão de crédito ou empréstimo pessoal.

O problema aqui é que você está convertendo dívidas não garantidas em uma dívida garantida e colocando sua casa em risco no processo do empréstimo.

Se você está vivendo uma vida financeira desajustada com contas de cartão de crédito fora do controle, muitos empréstimos pequenos, carnês de crediário, financiamentos de carros etc.. pode ser atraente rolar todas essas dívidas para baixo de uma hipoteca e lidar com apenas um novo pagamento fixo todo mês.

Até aqui parece ótimo, no entanto, a chave é olhar a longo prazo para suas finanças antes de incluir suas dívidas não garantida em um re-empréstimo ou refinanciamento. Quando o fizer, certifique-se de estar preparado para o pior. Lidar com cobradores de dívidas não é divertido, mas por outro lado, perder sua casa é um desastre. Por isso tenha cuidado.

Você quer consolidar para economizar dinheiro

Antes de concordar com qualquer tipo de contrato para fazer uma consolidação da dívida, certifique-se de entender completamente os termos e condições primeiro. Algumas coisas para se perguntar incluem:

  • Existe taxas intermediárias? E, em caso afirmativo, quando é que acontece e qual o valor?
  • Quantos anos demorará para pagar tudo e quanto você terá pago de juros até o final?
  • Existem penalidades para pagar antecipadamente ou quitar o empréstimo?
  • Quais são as penalidades para pagamentos em atraso ​​ou pagamentos perdidos?

Gaste um pouco do seu tempo para fazer a matemática quando necessário. Algo que parece ser bom para você hoje pode não ser tão bom ao longo do tempo.

Quais os riscos da consolidação da dívida versus liquidação da dívida

Um refinanciamento ou consolidação de dívida é totalmente diferente da liquidação da dívida. É incrivelmente importante saber o que você está consolidando; com quem está consolidando; o que foi consolidado; e o que foi liquidado.

Vale mencionar que algumas consolidações são dispendiosas (existem taxas e mais taxas cobradas pela empresa ou instituição consolidadora que tornará extremamente difícil você obter crédito novamente no futuro por não haver espaço na margem da renda para novos descontos.

Quer mesmo fazer uma consolidação ?

Se você está querendo fazer uma consolidação para recuperar suas finanças, você também pode querer pensar em liquidar boa parte das suas dívidas – é uma ideia!

Quando fazer uma consolidação da dívida não é uma boa idéia
Média 4.421 votos