Nome sujo limita crédito, empréstimo e novo emprego

Esta com o nome sujo e quer pedir um crédito pessoal ou empréstimo? Quer saber se com o nome sujo consegue um bom emprego? Leia a matéria

Nome sujo limita créditoEstou com o nome sujo posso pedir um crédito pessoal ou empréstimo? Com o nome sujo Eu consigo um bom emprego? Meu nome ficou sujo na praça, o que faço? Fazer um empréstimo, tomar dinheiro nas financeiras emprestado, comprar produtos financiado ou a prazo, há muito tempo deixou de ser uma operação burocrática ou demorada. Normalmente nem precisa assinar qualquer tipo de documento ou nota promissória para garantir a obtenção do empréstimo, função disponível em bancos e cartões de crédito.

Atualmente existem uma enxurrada de instituições financeiras, administradoras de cartões e, claro os bancos de varejo, todos oferecem crédito pessoal rápido, financiamentos facilitados e “empréstimos imediatos” em suas redes de agências, lojas de crédito e  centrais de atendimento. Lojas de departamentos como a C&A , Renner, Riachuelo e diversos Hiper e Supermercados com o Extra e o Carrefour também oferecem produtos e serviços financeiros par seus clientes.

O que dá acesso a essas linhas de crédito

Para conseguir crédito bancário e linhas de financiamentos, o interessado não pode constar em nenhuma lista de cadastros de proteção ao crédito (SPC, Serasa, CCF, BACEN e outros órgãos de proteção), não pode estar inadimplente ou ficar devendo para qualquer credor, ou seja, tem que ter o nome limpo na praça, e bom histórico de crédito, caso contrário o crédito fica restrito.

Todos nos sabemos que ficar com o nome restrito em um desses bancos de dados – SPC, Serasa, CCF, BACEN e outros órgãos de proteção – limita o consumidor privando-o de fazer empréstimo pessoal, compras financiadas, financiamentos de bens e acesso ao crédito em geral.

Além disso, dificulta formalizar alguns tipos de contratos com prestadores de serviços, mas o pior empecilho de todos é arrumar um novo emprego, com nome sujo fica bem difícil. A lei informa que, se o consumidor deixar de fazer ou atrasar seus pagamentos, torna-se devedor, e a quitação da dívida deverá ser à vista (pode ser negociada).

Para ficar mais claro, a partir do momento em que o consumidor deixar de honrar o compromisso financeiro já estabelecido, ele pode ter o nome inscrito como mal pagador a qualquer momento.

Inadimplência e falta de pagamento

Existem várias situações que negativam o consumidor levando-o ficar com o nome sujo, as principais são: emitir cheques sem fundos na praça e ter dívidas vencidas, outros casos como deixar de pagar parcelas do crediário, do financiamento de veículo, imóvel, contas de consumo ou faturas de cartões também geram pendências.

Órgãos de cadastro de restrição

Confira 5 dos órgãos que fornecem informações do tipo cadastro de restrição:

SPCs – São ligados às associações comerciais, CDLs;
SCPC – Serviço Central de Proteção ao Crédito da Associação Comercial de São Paulo (ACSP);
CCF – Cadastro de Emitentes de Cheques sem Fundos do Banco Central;
SERASA – Faz análises e informações para decisões de crédito e apoio a negócios;
Equifax – Empresa de soluções para gestão de risco.

Cada uma delas possui seus próprios critérios e regras para efetuar a inscrição do cadastro. Por exemplo, nos SPCs, a inclusão do nome só é feita a partir de 30 dias de atraso no pagamento, na Serasa, esse prazo é definido pelo credor.

123 comentários - Faça um comentário

Comente aqui !