Muda teto para cobrança de juros do empréstimo consignado

A medida vai permitir a migração de dívidas mais caras, como de cartão de crédito, por exemplo, para uma modalidade mais barata e até mesmo estimular novas concessões.

O Governo Federal após resolução decidiu reduzir o teto máximo (juros do empréstimo) que permite os empréstimos consignados para aposentados e pensionistas do INSS assim como milhares de servidores públicos em todas as esferas.

Hoje (3) de maio, começa vigorar as novas regras que impõe limite nas taxa de juros cobradas nos empréstimos consignados. Consignado é uma modalidade de empréstimo que os descontos das parcelas são feitos direto na folha de pagamento mensalmente, tanto para os aposentados e pensionistas do INSS (Instituto Nacional do Seguro Social) quanto para boa parte dos servidores públicos.

Quem deu o veredito na sexta-feira passada, foi o Conselho Nacional de Previdência, com a aprovação, a redução do teto da taxa de juros nesse tipo de operação começa a valer a partir de hoje e valerá até que haja alteração.

Diz a lenda que o teto dos empréstimos consignados seria de 32% e agora baixou para incríveis 28,9% ao ano, na matemática moderna isso deve representar uma queda de cerca de  3,1%. Com a nova regra, a taxa de juros cobrada no empréstimo consignado cai de 2,34% para 2,14%. No entanto quem está acostumado a pegar empréstimos ou trabalhar no segmento sabe que esses percentuais já são aplicados a anos nas operações consignadas.
Muda teto para cobrança de juros do empréstimo consignado
A redução não atingiu apenas o consignado direto na folha, também terá validade nas operações com cartão de crédito consignado, nesse caso, a taxa de juros aplicada que era de 3,36% passará para 3,06% ao mês. Em percentuais anuais, a redução será de 5,1 porcento, passando de 48,7% para 43,6% percentuais.

Voltando ao passado, o Ministério do Planejamento, Desenvolvimento e Gestão, publicou a portaria no “Diário Oficial” da União, a portaria quebra um elo que desde sua criação em 2008 tinha sido mexido. Agora o teto para a taxa de juros nas operações de empréstimo consignado para servidores e beneficiários do INSS ganhou um pouco de fôlego e dezenas de reais a menos nos saldos dos empréstimo em consignação.

Como funciona o consignado?

O empréstimo consignado é uma formas de obtenção de crédito pessoal de menor custo para o solicitante do mercado financeiro no Brasil. Só para termos um ideia, somente no mês de fevereiro deste ano (2017), o montante de empréstimos consignados chegou a marca dos R$ 291,4 bilhões, deste total, aproximadamente 94%(R$ 169 bilhões), foram solicitados por servidores públicos e o restante (R$ 104 bilhões), por aposentados e pensionistas do INSS.

Com a redução do teto das taxas dos juros do empréstimo consignados, permitirá tanto para os servidores públicos, quanto para os aposentados e pensionistas, que eliminem dívidas mais caras, neste caso, mutuários que possuam dividas cobradas de até 15,88% ao mês nos cartões de crédito convencionais no rotativo, consigam substituir por taxas mais baixas do empréstimo consignado, o custo se tornará menor.

De acordo com o próprio Governo Federal, ao considerar que somente até o momento, as concessões de empréstimos consignados em folha estão no mesmo patamar de 2016, a estimativa que o pagamento de juros feito nas novas operações de crédito com os servidores, aposentados e pensionistas podem ter um abate de custos em cerca de R$ 3,7 bilhões. Além dessas mudanças, mês foi criado mais uma modalidade de crédito, saiba aqui como funciona o empréstimo com FGTS consignado.

Comente aqui !