Empréstimo Pessoal Fácil os Juros baixo e a Inadimplência

O empréstimo pessoal facilitado e os juros baixo fizeram a inadimplência aumentar, segundo o SPC Brasil e o Banco Central

empréstimo pessoal fácil
Há muitos tipos diferentes de empréstimo pessoal fácil que supre as necessidades de dinheiro em momentos de emergência, geralmente o “empréstimo fácil” está disponível 24 horas do dia dando comodidade para o contratante poder solicitá-lo quando achar melhor. Dependendo das condições financeiras do cliente, o banco ou financeira libera uma série de linhas de crédito que o acesso é rápido e sem burocracias, cabendo ao solicitante simplesmente optar pela modalidade de empréstimo que convier.

O que muitos acabam esquecendo é que ao decidir “pegar um empréstimo pessoal fácil”, as taxas de juros, as vantagens e condições de cada tipo deve ser levado em conta. Algumas linhas de empréstimo fácil possuem taxas mais elevadas, outras um pouco mais acessíveis.

Outro fator importante, é descobrir se você pode ou não pagar as parcelas do reembolso, a tomada de um empréstimo não pode e nem deve ser feita baseada em decisões emocionais e de forma desorganizada, se feito com cautela e responsabilidade, o empréstimo fácil garante a solução de muitos problemas na área financeira, no entanto, se mal planejado as consequências são improváveis.

O empréstimo fácil tem feito muitas baixas, tanto é que o número de consumidores que se tornaram inadimplentes e tiveram seus nomes incluídos no SPC (Serviço de Proteção ao Crédito) tem aumentado gradativamente mês após mês.

Conforme informações da CNDL (Confederação Nacional de Dirigentes Lojistas) e do SPC Brasil, o reflexo da facilidade na obtenção de crédito e empréstimos pessoais fáceis e dos juros reduzidos, colaboraram para a alta da inadimplência.

O Banco Central também divulgou dados onde foram apontados que o empréstimos facilitado às pessoas físicas tiveram um aumento na concessão na ordem de 13% em relação ao mesmo período do ano passado.

Segundo a economista do SPC Brasil, “Com crédito fácil e taxa básica de juros operando no mínimo recorde de 7,25% ao ano, temos um ambiente mais que propício para as compras a prazo. No entanto, o consumo exagerado, combinado com a falta de planejamento têm levado as famílias a se endividar”, explicou Ana Paula Barros.

Apesar da inadimplência alta por causa dos empréstimo pessoal fácil, o consumidor também mostra-se mais preocupado em quitar dívidas e manter seu nome limpo na praça e honrar seus compromissos financeiros. Com o recebimento do 13º salário e alguns bônus de natal, muitos têm procurado a Serasa Experian e o SPC Brasil atrás de credores para negociar dividas vencidas.

5 comentários - Faça um comentário

Comente aqui !