Seu Dinheiro

Dívidas boas e Dívidas ruins, qual a diferença?

Existe muitas controvérsias quanto ao assunto dívidas boas e dívidas ruins, mas há diferença sim é são importantes para sua vida financeira

Dívidas boas e dívidas ruins? Tem alguma diferença, dívidas não são sempre dívidas? Existe muitas controvérsia quanto ao assunto, mas há diferença sim e, essa diferença é muito importante para a vida financeira de qualquer cidadão economicamente ativo. Ao contrário do que muitos imaginam, fazer dívidas pode inclusive beneficiar o consumidor em diversos aspectos. Contrair dívidas sem necessidade e comprometer o orçamento familiar ou pessoal, essa sim é prejudicial e trás danos irreparáveis na estabilidade financeira da pessoa.
divida boa e divida ruim

Quando adquirimos dívidas boas, ela auxilia na manutenção do histórico de crédito, aumenta o score e suas finanças se mantém saudáveis. Existem alguma dívidas que podem ser classificadas como boas? Sim, o financiamento imobiliário, o financiamento estudantil e os empréstimos para negócios (capital de giro), são bons exemplos de dívida boa.

Dívidas boas são adquiridas para agregarem valor, quando você compra um imóvel e paga as prestações mensais, mesmo tendo feito um financiamento a longo prazo, o valor do imóvel com o tempo vai aumentar, diferente de um carro que ao financiar, o consumidor já perde no mínimo 10% do valor na retirada do veículo.

Um financiamento para estudante também é uma dívida boa, durante o tempo de universidade o estudante vai se aperfeiçoar para se tornar um profissional capacitado no segmento que esta estudando, desta forma o investimento foi pessoal, vale muito a pena.

O empréstimo para negócios também é bom “exemplo de dívida boa”, ao pegar o dinheiro emprestado para investimento em reestruturação, ampliação ou aumento de produção, o empresário busca com o empréstimo, agregar valor e não prejuízo.

Então nós podemos concluir que dívidas contraídas que geram dinheiro e, aumentam nosso patrimônio líquido ou que representam investimentos que trarão algum retorno financeiro a curto, médio ou longo prazo são boas, tirando esses exemplos o restante são dívidas ruim.

Ao pegar um “empréstimo pessoal ou financiamento”, os mesmos devem ser feitos com objetivos concretos para ajudar, para melhorar, para expandir. Os “empréstimos para pagar dívidas” Eu até considero boa, desde que ao solicitar esse tipo de empréstimo, o consumidor realmente consigna consolidar todas as suas dívidas, diminuir o saldo devedor e juros, e não tenha dificuldades de pagar a nova dívida.

link  Crédito Pessoal para Limpar o nome no SPC e pagar dívidas

Dívida ruim

A dívida ruim ela prejudicar a vida financeira e destrói a credibilidade do cidadão na hora de obter qualquer tipo de crédito na praça. Quando o cartão de crédito é usado para pagar por produto do cotidiano, como almoço, café, alimentos ou utilitários, a pessoa esta na verdade acumulando dívida ruim. Este tipo de dívida pode ser paga com dinheiro vivo, com o cartão de crédito essas dívidas estão sendo apenas proteladas para pagamento posterior, só é valido se o consumidor tiver o cadastro positivo, para construir um história financeira de pagamentos em dia.

link Crédito para fazer o que quizer ou pagar dívidas

Contrair dívidas que você não pode pagar, não precisa nem falar que é ruim, é péssima. Outros exemplos: se você pegar os extratos de cartões de crédito de inadimplentes, vai observar que estão utilizando os cartões para pagar finais de semanas prolongados com a namorada e amigos, noites em baladas, roupas de grife, despesas de boteco, e todo tipo de compras supérfluas. É importante manter uma planilha de despesas para você analisar aonde você esta gastando o seu dinheiro e, corrigir qualquer deslize antes que seja tarde.

link Aproveite o empréstimo consignado para quitar dívidas

Ao investir em uma dívida boa, você está criando um histórico valioso que pode provar que você é financeiramente responsável. Adquirir dívidas ruins pode levar você a inadimplência que por sua vez poderá levar sua finanças a caminhos incertos e duvidosos. Controle suas finanças, se você não for cuidadoso de seus hábitos financeiros o cinto pode ficar muito apertado.

Confira o vídeo sobre “Dívida boa e Dívida ruim” realizado pelo TopMoney na parceria entre o Dinheirama e o Portal InfoMoney.

Dívidas boas e Dívidas ruins, qual a diferença?
Avalie esta postagem

Account Manager, Consultora e Blogueira - Trabalhou com produtos e serviços de crédito no segmento financeiro. Atualmente é produtora de conteúdo e escreve sobre linhas de crédito, financiamentos e finanças.

Escreva um comentário