Skip to content

Devolver carro após ter financiado ou comprado – Como fazer?

Devolver carro é uma das polêmicas mais discutidas que envolve o código de Defesa do Consumidor. Apesar de não ser comum, algumas pessoas já passaram pelo arrependimento de ter comprado um veículo que aparentemente gostaram, tentaram devolver o carro, porém não tiveram o amparo da lei brasileira na hora de tentar realizar a devolução.

Devolver carro é possível?

Você pode até tentar, porém dificilmente a concessionária aceitará ou concluirá o procedimento. Isso pode acontecer porque na legislação sobre a relação empresa e consumidor não há nada que obrigue a desfazer o negócio, principalmente um produto que foi comprado presencialmente.

Naturalmente a dúvida sobre devolver carro e o procedimento de troca de carro existe por conta das devoluções rotineiras que normalmente são feitas com outros produtos, móveis, eletrônicos, eletrodomésticos, roupas, acessórios etc.

Na prática, a troca de produtos não é prevista na lei. Loja alguma é obrigada a trocar o produto e quando fazem isso, fazem para manter o consumidor fiel. Não deixa de ser uma boa vontade do comerciante. No caso de um carro, isso difícil justamente pelo valor do bem, o que envolve as vezes até o financiamento.

O que a lei diz sobre devolver carro comprado?

Posso devolver carro logo após ter feito a compra?
Não há uma legislação específica falando exatamente desta relação e deste tipo de produto. Portanto, não há como definir se a troca ou devolução deve ser aceita. Portanto, há casos que merecem mais atenção, principalmente em situações de vício oculto, por exemplo.

A garantia de devolução é prevista por lei?

Quando falamos em produto, seja um carro, veiculo motor ou qualquer outro item, a legislação prevê sim uma garantia legal. No caso de carro, essa cobertura deve ser feito até 90 dias após a compra. Em casos de outros produtos, esse tempo cai para 30 dias.

Qual a solução para devolver carro financiado ou comprado?

Se você quer realmente devolver o carro há dois caminhos. O primeiro deles é tentar conversar e negociar onde comprou, mas lembre-se que isso também é uma negociação e é preciso saber conversar para não receber o não de cara.

Outra alternativa, desde que o carro tenha algum problema, é buscar um advogado para tentar algum tipo de recurso. Por exemplo, o vício oculto pode se enquadrar no Código Civil e isso pode gerar até processo. Porém, é preciso comprovar que o vício existia. O ideal é procurar um advogado para tirar essas dúvidas.

Posso devolver um carro até 7 dias?

Se você comprar pela internet, a legislação prevê que a devolução possa ocorrer em até 7 dias após o recebimento do produto. Hoje, é comum até a negociação online de bens desse porte, se for o seu caso, você tem uma possível cobertura para devolver o carro.

Empresas como a Renault já iniciaram esse tipo de venda via internet.

Carro financiado pode ser devolvido?

Lembre-se que, além de tentar conversar com o vendedor para negociar a devolução, é preciso pensar no financiamento realizado. O banco não costuma cancelar o negócio por uma simples desistência e aqui pode ser um grande barreira para o consumidor.

Ler o contrato de financiamento é fundamental, até para que cláusulas abusivas sejam discutidas antes da assinatura. Posteriormente, caso haja algum item questionável, um bom advogado pode buscar a justiça para tentar resolver o problema, porém isso pode demorar meses ou até anos.

Enquanto não sai o resultado, o consumidor precisa arcar com a aquisição, pagar o valor devido para não ter o nome inscrito no SPC ou Serasa. Fique atento!

Atenção antes de comprar um carro ou veículo

Para evitar a vontade de devolver o carro, os especialistas indicam uma boa pesquisa antes de fechar qualquer negociação.

Lembre-se de pesquisar a loja onde vai comprar, o nível dos juros que envolve a compra e até o preço de mercado do automóvel. A compra não deve ser um resultado de um impulso, já que isso realmente pode custar caro depois.

Comprar carro é assunto sério e, mais do que a prestação, é saber que o automóvel terá outros gastos, como seguro e combustível. Faça as contas e só vá comprar se realmente estiver com toda certeza da compra.

A melhor forma de evitar dor de cabeça é justamente fazer a consulta do CPF e nome, analisar as contas e finanças, para ter certeza da possibilidade de pagar mensalmente o veículo, além de considerar outros aspectos que envolvem o bem. Antes de comprar, pesquise detalhes da loja, como a reputação dela na rede.

4.8
17