Informações Úteis

Consórcio para cirurgias plásticas alternativa de financiamento

Consócio para cirurgias plásticas, um negócio em expansão no Brasil, consumidor tem liberdade total para escolher o médico especialista

Consórcio para cirurgias plásticasConsórcio para cirurgias plásticas é mais uma facilidade para pessoas que querem realizar um procedimento para cirurgias estéticas ou cirurgias reparadoras mais não tem dinheiro para bancar o procedimento à vista, não quer pagar os juros e encargos dos “financiamentos para cirurgias plásticas” ou simplesmente já são adeptos do uso do “consórcio para aquisição de bens e serviços”.

A muitos anos a cirurgia plástica tem sido um dos negócios que vem tendo uma expansão crescente no Brasil, atrelado a esse crescimento, o consórcio para cirurgias plásticas em algumas administradoras também tem crescido e já representam mais da metade das vendas na categoria de serviços.

Então o “consórcio para cirurgias plásticas” está em alta no país? Parece que sim, principalmente porque os empréstimos para cirurgias plásticas com cheque pré ou o financiamento de cirurgia com cartão de crédito e o CDC para cirurgias plásticas são acrescidos de juros, e não são juros baratos, diante disto, o consórcio encontrou um nicho apropriado para “financiar cirurgias plásticos sem juros” ou encargos financeiros muito elevados. Porém, nem todos os médicos aprovam essa nova linha de financiamento.

Vale dizer que o “consórcio para cirurgias plásticas” é regulamento pela lei federal de 2008 que autoriza as administradoras de consórcios a vender cartas de crédito para a realização de procedimentos a fim de realizar cirurgias plásticas, cirurgias estéticas ou cirurgias reparadoras.

Como funciona?

Da mesma forma que um consórcio de outro bem qualquer, uma vez sendo contemplado, o cotista que será candidato ao ato cirúrgico deve procurar o médico que julgar ser capaz de realizar o procedimento para a realização da cirurgia plástica. O médico recebe o pagamento diretamente da Administradora do Consórcio.

A divergência gira em torno da resolução do Conselho Federal de Medicina – CFM, que diz que os médicos são proibidos de atender os pacientes encaminhados por uma Administradora de Consórcio. E, pelo Código de Ética Médica, o cirurgião plástico não pode ter vínculo com as empresas de consórcio, tipo parcerias para captação de pacientes.

Escolha do cirurgião

Com o “consórcio para cirurgias plásticas” o consumidor tem liberdade total para escolher o especialista que desejar. Não podemos esquecer que não existe problema em usar o consórcio para pagar os procedimentos cirúrgicos, visto que o consumidor paga com o próprio dinheiro e com certeza vai escolhe o médico de sua preferencia.

Se você quer fazer uma cirurgia plástica e não via possibilidade de realizar o procedimento por falta de dinheiro, o consórcio para cirurgia plástica pode ser uma ótima oportunidade para você realizar seu sonho, a maioria dos procedimentos podem ser pagos através do consórcio, só tenha a atenção de notar se existe algum tipo de vínculo entre médico e a Administradora do Consórcio, se perceber algo, o Conselho Regional de Medicina – CREMESP, pede que seja feita uma denúncia formal.

Consórcio para cirurgias plásticas alternativa de financiamento
Avalie esta postagem

Account Manager, Consultora e Blogueira - Trabalhou com produtos e serviços de crédito no segmento financeiro. Atualmente é produtora de conteúdo e escreve sobre linhas de crédito, financiamentos e finanças.

Escreva um comentário